Remover Ransomware? Podemos desencriptar os seus ficheiros

A remoção de ransomware de um sistema infetado requer um conhecimento profundo tanto do ransomware como do dispositivo e dos ficheiros que foram encriptados. Antes de discutir como remover o ransomware, é necessário compreender a complexidade deste malware e como funciona.

O ransomware foi desenvolvido com um objetivo muito bem estabelecido: encriptar ficheiros, que é o seu objetivo básico. Os grupos invadem o sistema da vítima e encriptam todos os ficheiros armazenados, após o que cobram um resgate para que a vítima volte a ter acesso aos seus dados.

Tudo isto é apenas uma visão geral de como o ataque e a encriptação de dados ocorrem. Vamos analisar mais detalhadamente e perceber como remover o ransomware do sistema.

Como é que o ransomware invade um sistema?

Os piratas informáticos utilizam inúmeras estratégias para obter acesso ao sistema da vítima. O grande desafio não é apenas ganhar acesso, mas ganhar acesso de uma forma oculta, para que o ransomware não seja identificado pelo sistema – este é o passo mais importante. A encriptação de dados é um processo delicado e demorado, e é por isso que esconder o malware é essencial. O objetivo é sempre encriptar o maior número possível de ficheiros e os mais importantes.

Os principais alvos do ransomware são:

  • Documentos de escritório: Os ficheiros Microsoft Word, Excel e PowerPoint são frequentemente visados, uma vez que contêm informações cruciais para empresas e indivíduos.
  • Bases de dados: As bases de dados são alvos valiosos, uma vez que podem conter informações sensíveis, tais como dados de clientes, registos financeiros e informações comerciais.
  • Ficheiros de imagem e vídeo: As fotografias e os vídeos pessoais são frequentemente visados, uma vez que têm um valor emocional significativo para os utilizadores. No caso das empresas, os ficheiros multimédia podem conter dados importantes para as operações de marketing e design.
  • Ficheiros de áudio: As gravações de voz e os ficheiros de áudio podem ser alvo de ataques, especialmente se contiverem informações confidenciais ou dados importantes para as organizações.
  • Ficheiros de cópia de segurança: O ransomware procura e encripta frequentemente cópias de segurança, desencorajando o fácil restauro de dados. Este facto realça a importância de manter cópias de segurança seguras e isoladas.
  • Ficheiros de sistema e de configuração: Determinado ransomware pode visar ficheiros e definições essenciais do sistema operativo para aumentar a eficácia do ataque e tornar a recuperação mais difícil.
  • Ficheiros de aplicação: Os ficheiros executáveis, as bibliotecas e outros componentes de aplicações podem ser visados para prejudicar o funcionamento normal dos sistemas.
  • Ficheiros de texto e de registo: Os ficheiros de texto, os registos e os ficheiros de registo podem ser direccionados para limitar a capacidade de uma organização para rastrear actividades de ransomware ou para causar interrupções nos processos de monitorização da segurança.
  • Ficheiros de configuração do servidor: Em ataques dirigidos a empresas, os ficheiros de configuração de servidores e aplicações críticas podem ser visados para desestabilizar as operações.

Antes de iniciar a encriptação, o ransomware mapeia todo o sistema, após o que a encriptação começa. Por este motivo, a estratégia de invasão é importante, o ransomware precisa de invadir e esconder-se no sistema operativo. As principais estratégias de invasão são:

  • Phishing e Engenharia Social – O phishing continua a ser uma técnica popular entre os grupos de ransomware. Enviam e-mails fraudulentos, muitas vezes disfarçados de mensagens legítimas, induzindo os destinatários a clicar em ligações maliciosas ou a descarregar anexos contaminados. A engenharia social é frequentemente utilizada para manipular as vítimas e obter acesso não autorizado.
  • Exploração de vulnerabilidades – Os grupos de ransomware tiram frequentemente partido de vulnerabilidades nos sistemas operativos, software e serviços. Exploram falhas de segurança conhecidas que ainda não foram corrigidas, o que realça a importância de aplicar regularmente actualizações e patches.
  • Ataques de força bruta – Para comprometer as credenciais de acesso, alguns grupos efectuam ataques de força bruta, nos quais tentam várias combinações de nomes de utilizador e palavras-passe até encontrarem a correcta. Isto realça a importância da utilização de palavras-passe fortes e da autenticação multifactor.
  • Ransomware as a Service (RaaS) – Alguns grupos oferecem ransomware como um serviço, permitindo que outros cibercriminosos menos qualificados efectuem ataques. Isto amplifica a ameaça ao permitir que indivíduos com menos conhecimentos técnicos participem em actividades criminosas.
  • Infiltração através de software legítimo comprometido – Os grupos de ransomware obtêm frequentemente acesso inicial através de software legítimo que foi comprometido. Isto pode incluir explorações em aplicações amplamente utilizadas ou a utilização de ferramentas legítimas para se moverem lateralmente dentro de uma rede.
  • Ataques a servidores RDP (Remote Desktop Protocol) – Alguns grupos exploram definições inadequadas do protocolo RDP para obter acesso remoto não autorizado a sistemas. Isto realça a importância de configurar corretamente as opções de segurança nos serviços remotos.
  • Cadeia de abastecimento – Os grupos de ransomware também exploraram vulnerabilidades na cadeia de abastecimento, visando as empresas através dos seus parceiros, fornecedores ou terceiros ligados à sua rede. Isto pode incluir o comprometimento de software utilizado em processos empresariais.

Perante esta diversidade de técnicas, é crucial que as organizações implementem medidas abrangentes de cibersegurança, incluindo actualizações regulares, formação de sensibilização para os utilizadores, políticas de palavras-passe sólidas e soluções de segurança avançadas para proteger contra ameaças de ransomware.

Como remover ransomware?

Talvez “remover ransomware” não seja a forma correcta de lidar com o ransomware, porque este pode ser removido, mas os ficheiros continuarão encriptados. A remoção pode ser feita formatando o sistema, mas isso também removerá os dados. A melhor opção é desencriptar os ficheiros encriptados e depois formatar o ambiente.

A remoção de ransomware deve ser efectuada por uma empresa especializada e com os conhecimentos técnicos necessários. A Digital Recovery dispõe de ambos, actua no mercado da recuperação de dados há mais de 25 anos e tem um amplo conhecimento da encriptação dos principais grupos de ransomware.

Veja os grupos de ransomware que podemos desencriptar:

Se o ransomware que pretende remover não estiver nesta lista, contacte os nossos especialistas. As nossas soluções conseguem desencriptar a grande maioria das extensões de ransomware nos principais dispositivos de storage, tais como: HD, SSD, sistemas RAID, Storages (NAS, DAS, SAN), bases de dados, servidores, máquinas virtuais, entre outros.

Estamos
sempre online

Preencha o formulário ou selecione sua forma de contato preferida. Entraremos em contato com você para iniciar a recuperação de seus arquivos.

Últimos insights dos nossos especialistas

Recuperar memoria flash

O Que é Memória Flash?

Desde a sua invenção nos anos 80, a memória Flash revolucionou o armazenamento de dados digitais. Essencial para dispositivos móveis, câmaras digitais, unidades de armazenamento

LEIA MAIS →

Através de tecnologias exclusivas a Digital Recovery pode trazer de volta dados criptografados em qualquer dispositivo de armazenamento, oferecendo soluções remotas em qualquer parte do mundo.

Descubra vulnerabilidades invisíveis de TI com o 4D Pentest da Digital Recovery