O que é RAID? Tudo o que você precisa saber

Recuperar Dados Sistema RAID

O sistema RAID tornou-se uma parte fundamental para as empresas que têm grandes volumes de dados. Antes de implementar este sistema na sua empresa, aprenda o que é o RAID, como funciona o RAID e como implementá-lo.

Um RAID é formado por um conjunto de HDDs e SSDs, que precisam de ser configurados através do sistema operativo.

São arranjos ou matrizes para que os conjuntos funcionem em conjunto numa rede privada ou pública para computadores portáteis, computadores, servidores e outros tipos de sistemas de armazenamento.

As principais razões pelas quais as empresas aderem a esta tecnologia de agrupar discos são: desempenho do sistema e segurança em servidores e computadores.

Isto significa que ao escolher um sistema RAID, estamos também a melhorar o desempenho, um ganho em desempenho, em fiabilidade para toda a questão da paridade, espelhamento, stripping com dupla paridade.

Todos estes aspectos trazem melhorias capazes de aumentar drasticamente a produtividade e o nível de entrega rápida na leitura e escrita de dados e ficheiros.

O limite para todos os níveis de RAID, é lembrar que todos os discos rígidos (HDD) ou SSDs têm uma data de validade.

Os dispositivos que estão a ser utilizados durante mais de 4 anos sem interrupção, utilização agressiva e implacável, têm uma duração de vida ainda mais curta.

Pode ser um disco rígido RAID, que são maiores e mais resistentes, mas mesmo assim, porque contêm peças mecânicas, cabeça de leitura, magnetismo para gravação de dados, levará certamente à quebra e à perda de dados.

Recomendamos sempre a todos os nossos clientes, parceiros, que mantenham sempre uma boa solução de backup nos seus servidores, RAID, NAS ou SAN.

Sempre que mencionamos boas soluções de backup, mencionamos o método 3x2x1 (3 cópias, 2 suportes diferentes, 1 offline). Este método é básico, é o mínimo que cada empresa deve ter.

O que vai encontrar neste artigo?

O que significa RAID?

A tradução exacta para RAID (Redundant Array of Independent Disks), é: “Redundant Array of Independent Disks”. Este é o seu significado exacto e abaixo explicaremos de uma forma prática, toda esta teoria.

Na prática, é uma matriz com dois ou mais discos ou SSDs que formam uma unidade lógica de armazenamento de dados.

Desta forma, em vez de termos vários discos na pasta “O meu computador” com as pastas nomeadas em (Unidade C:), (Unidade D:), (Unidade E:), (Unidade F:), e assim por diante, teremos apenas uma pasta (Unidade C:), por exemplo, que executará todo o trabalho de uma forma única.

Desta forma, é possível montar uma única matriz, com vários discos ou SSDs que serão geridos como se fossem todos um único dispositivo.

Um sistema RAID pode ser implementado e configurado via Linux, onde todo o volume RAID, todos os discos juntos, se tornam apenas um disco para o sistema operativo.

Recuperar Sistemas RAID

Como implementar arquitecturas numa estrutura RAID?

Para implementar uma arquitectura RAID de hardware apenas necessitará de discos rígidos disponíveis, um controlador RAID, uma placa de expansão PCI ou PCI-e ou uma placa integrada na placa mãe do seu PC de secretária no seu próprio escritório em casa.

Usando um PC comum é possível fazer toda a implementação de uma arquitectura RAID.

Os discos rígidos precisam de ser mantidos num local seguro e mesmo nos casos em que um dos discos se parte, temos o recurso de hot-swapping, que nos permite fazer a troca do disco rígido partido por um novo, enquanto o servidor continua a funcionar e os recursos não são interrompidos até que o novo disco seja restaurado a redundância ou paridade dos outros discos.

O lado positivo de implementar uma arquitectura RAID via hardware é que teremos sempre um ganho de desempenho, porque independentemente da E/S o controlador é capaz de determinar e apresentar apenas uma única unidade de disco, sem sobrecarregar o(s) processador(es).

Software RAID Arquitectura Implementação

Se precisarmos de uma arquitectura RAID mais barata, sem custos adicionais, a implementação através de software é a mais adequada.

Neste caso, como não temos um controlador específico, toda a gestão será feita pelos processadores no próprio PC ou CPU de secretária.

Para que isto seja feito para obter ganhos de desempenho, o processador utilizado precisa de ter o desempenho mínimo disponível, de modo a que mais recursos possam ser acedidos pelo sistema.

O nível de carga de escalabilidade do sistema RAID é muito amplo, o que significa que podemos aceder a todo o seu desempenho, sem perdas no meio dos processos.

Neste tipo de projecto, não há necessidade de incorrer em custos elevados num armazenamento de alto valor, fortuna em Servidores, embora existam vários casos de profissionais em empresas que trabalham desta forma.

É como se a BIOS recebesse algumas funções mais do que uma comum, devido ao software que é instalado e aos drivers que são executados via S/O.

Implementação de Arquitectura RAID de Hardware

Para implementar o RAID por hardware é necessário um controlador que tenha os seus próprios discos. A implementação de hardware tem algumas vantagens em relação ao software, o hardware acumula cache que acelera o acesso à informação, além de não exigir a utilização da CPU do servidor ou do armazenamento utilizado.

O que significam os níveis RAID?

São todas tecnologias que envolvem o agrupamento de dois ou mais discos, denominados como sistemas em RAID. Os níveis RAID são definidos por adição numérica ou alfabética de cada um dos níveis.

Isto significa que a configuração vai muito além de ter apenas uma unidade de armazenamento, mas que pode satisfazer a procura específica, a procura de desempenho e a capacidade de armazenamento dos dados.

Não é uma obrigação ou algo que não possa ser alterado, mas o que é mais indicado para montar um Array, é que todos os discos rígidos ou SSDs do mesmo fabricante, do mesmo modelo, com a mesma capacidade, de modo a que todos os recursos sejam utilizados igualmente.

Actualmente, pequenas, médias e grandes empresas utilizam esta tecnologia devido à facilidade de escalabilidade e segurança.

Existem alguns níveis de RAID que são os mais utilizados actualmente no mercado. Abaixo encontram-se alguns níveis utilizados para soluções empresariais.

RAID 0

Recuperar RAID 0

Em RAID 0, dois ou mais discos executam tarefas de leitura e escrita simultaneamente, proporcionando o mais alto desempenho e libertando a capacidade total dos discos.

Ao fazer esta disposição, o sistema entende que deve utilizar todos os discos disponíveis, distribuindo a informação entre os discos.

RAID 1

Recuperar RAID 1

RAID 1 ou espelhamento RAID, foi desenvolvido com o seu foco na protecção do ambiente, porque ao implementar este sistema, todos os dados, ficheiros e folhas de cálculo serão gravados em duplicado e simultaneamente nos HDs ou SSDs.

De uma forma objectiva, todo o ambiente será replicado em ambos os arranjos dois discos.

RAID 5

Recuperar RAID 5

Para implementar RAID 5, o mínimo são três HDD ou SSDs, porque não há espelhamento nisto, mas sim os bits de paridade que são criados para que as cópias de segurança dos dados sejam realizadas.

Isto é mais seguro do que o RAID 0 e 1, devido à paridade de configuração, não está focado no desempenho, embora seja bastante performante.

Para os mais exigentes, que precisam de uma grande procura de dados, o ideal é montar uma configuração em SSD, porque está na memória flash, o que torna todo o ambiente mais performante.

RAID 6

Recuperar RAID 6

No RAID 6 são configuradas duas paridades, por isso, desta forma, para criar um RAID 6 e isto requer pelo menos quatro discos rígidos ou SSDs para armazenar e efectuar a leitura dos dados gravados.

Este tipo de RAID é implementado em ambientes que são muito performantes e requerem segurança de dados, isto é tolerante a falhas até 2 discos rígidos / SSDs nos Arrays.

Funciona como uma junção de alto desempenho e segurança, enquanto todas as tarefas são executadas, ao mais crítico, é o melhor e também o mais caro.

RAID 10

Recuperar RAID 10

Um RAID 10 ou 0+1 é a junção de RAID 0 e RAID 1. Neste tipo de RAID o armazenamento pode conter numerosos discos, e cada disco terá outro disco idêntico (espelho) na mesma matriz.

Por outras palavras, é criado um RAID 0 e para cada disco em RAID 0 é criado um disco espelhado com a mesma informação. Se por um lado no RAID 10 temos o mesmo desempenho de segurança RAID 0 e RAID 1, também tem a sua portagem.

A desvantagem deste sistema é que ele irá sempre levar metade dos discos – 50% do armazenamento disponível – para gerar redundância de dados, ou seja, se se criar um array com 10 discos, só se pode utilizar o espaço equivalente a 5 discos. Os outros 5 discos serão para uso exclusivo do controlador e serão utilizados para gerar redundância de dados.

RAID 50

Recuperar RAID 50

O RAID 50 é uma combinação complexa de RAID 5 e RAID 0. São necessários pelo menos 6 discos para este tipo de matriz. O RAID 50 oferece o desempenho do RAID 0 com um nível de segurança superior ao do RAID 1.

É composto por duas ou mais matrizes independentes em RAID 5 que estão ligadas em RAID 0. Cada matriz no RAID 5 consiste em pelo menos 3 discos e o sistema terá o equivalente a um espaço de disco redundante para cada matriz no RAID 5.

RAID 60

Recuperar RAID 60

Similar ao RAID 50, RAID 60 é uma combinação de RAID 6 e RAID 0. Serão necessários pelo menos 8 discos para criar este tipo de RAID.

Este sistema oferece o máximo desempenho e segurança entre todos os tipos de RAID aqui apresentados. Neste caso, podem cair até 4 discos ao mesmo tempo de diferentes sub-arrays e o sistema continuará a funcionar.

Quais são os Ônus de um sistema RAID?

Um sistema que tem sido implementado em RAID é facilmente mencionado como um ambiente muito seguro, mas há algumas advertências que precisam de ser abordadas e expostas.

A implementação em RAID é segura contra falhas do sistema, porque existem níveis de “backups”, devido ao espelhamento e à paridade de outras configurações.

Quando tomamos em consideração este aspecto, podemos ver que o RAID não protege realmente os dados, mas liberta o sistema operativo de falhas que impedem abruptamente toda a linha de produção das empresas.

O ideal, para todos os ambientes empresariais que utilizam Base de Dados, Armazéns, Servidores, Máquinas Virtuais ou mesmo em Datacenters: ter uma excelente solução de Backup.

O principal sistema de segurança de dados é ainda a boa e velha solução de Backup, conhecida como “solução 3x2x1”, onde existem três cópias dos dados em dois tipos diferentes de dispositivos, sendo um deles offline. Esta é a mais básica das soluções.

O melhor do mundo seria uma solução de backup que fosse actualizada de hora a hora, todos os dias, para os S/O mais críticos que não podem parar ou ter pausas invulgares.

Para os ambientes não críticos, o ideal seria que se fizesse, pelo menos, um backup diário ou semanal do pior cenário possível.

É necessário estabelecer a cultura de estratégias de backup bem sucedidas, uma vez que muitas frentes são expostas quando há perda ou fuga de dados após um ataque de hacker.

Sempre que há necessidade de contratar os serviços de uma empresa tecnológica para a recuperação de dados, é porque os protocolos de protecção e segurança falharam.

Os sistemas antivírus só funcionam como paliativo e não como prevenção, pois são vendidos em estratégias de marketing nas listas dos melhores de cada ano, no melhor do semestre e assim por diante.

O que causa a perda de dados num sistema RAID?

Há vários factores que causam uma perda de dados num sistema RAID: factores humanos, utilização excessiva do sistema, falta de manutenção e troca de discos, problemas no controlador RAID.

Pode-se montar um sistema RAID num Armazenamento, NAS, Servidores SAN em grandes Centros de Dados, em tudo, se não houver um controlador RAID e técnicos que saibam o que estão a fazer, será como um “tiro no escuro”.

Em todos os níveis de RAID, devemos enfatizar a importância de uma infra-estrutura bem planeada, evitando os falsos peritos que dão dicas que funcionam por absolutamente nada.

Todos os cuidados necessários são ainda poucos, criar uma rotina de check-up, verificar a vida útil do HD ou SSD, verificar via software, como está a sua saúde, para que não haja perda de dados do RAID HD.

As empresas que têm uma equipa de tecnologia precisam de estar sempre em evolução, adeptas de mudanças saudáveis, o que trará vários benefícios e trará economias de tempo, dinheiro e acrescentará ainda mais valor à empresa.

A corrupção de ficheiros em sistemas RAID é causada por desatenção, desconfiguração e mesmo por uma pessoa maliciosa que acaba por apagar dados de forma permanente.

Precisamos de o avisar: o sistema de redundância protege-o contra algumas falhas de disco, e é grande e fácil para a escalabilidade do sistema, mas isto não exclui o facto de que se houver uma falha de energia, erros de funcionamento, erros de sistema.

É necessário ter em conta que se nos deslocarmos para locais onde não dominamos, podemos sofrer danos, talvez irreversíveis.

Principais questões que levam à perda de dados no sistema RAID

Problemas físicos

  • Controlador RAID defeituoso
  • Problemas nos circuitos
  • Despenhamento da cabeça
  • Cabeça suja
  • Danos superficiais em discos
  • Blocos defeituosos – Sectores defeituosos
  • Desgaste natural dos meios de comunicação
  • Arranhões superficiais
  • Arranhões graves
  • Danos motores
  • Problemas de servomecanismo
  • Mancais de disco rígido defeituosos
  • PCB com defeito no disco rígido (Placa de circuito impresso)
  • Problemas de Firmware
  • Danos causados por água e/ou outros líquidos
  • Corrente subterrânea do circuito
  • Danos por queda e impacto

Problemas Lógicos

  • Eliminação ou danificação de dados de partição
  • Eliminação de partições
  • Sobreescrita de informação
  • Formatação e subsequente reinstalação do sistema
  • Problemas de arranque do sistema
  • Desincronização de dados de um disco rígido para outro

Problemas de configuração

  • Perda de dados de matriz
  • Eliminação ou alteração da configuração do controlador RAID
  • Eliminação ou alteração do volume da matriz
  • Perda da ordem do disco rígido

Existe uma solução para a recuperação de dados RAID?

Sim, há soluções disponíveis no mercado para a recuperação de dados em todos os níveis e modelos RAID.

A recuperação de dados para RAID é personalizável e ideal para todos os sistemas. Isto significa que existe a possibilidade e flexibilidade de recuperar todos os dados independentemente do nível RAID.

Há casos isolados em que os dados não podem ser recuperados, devido a tentativas que, em vez de resolverem o problema, apenas o aumentaram.

As possibilidades de recuperação são unitárias e por vezes há apenas uma tentativa, pelo que vale a pena salientar que a escolha correcta da empresa de recuperação de dados é da maior importância.

As recomendações listadas abaixo baseiam-se nos nossos muitos anos de experiência na recuperação de dados RAID.

Temos a experiência de recuperar RAID 0, RAID 1, RAID 5, RAID 6, RAID 10, JBOD e outros. Antes de executar quaisquer procedimentos para tentar recuperar dados do seu sistema RAID, considere os seguintes pontos:

  • Ter a certeza de que os procedimentos realizados não irão piorar a situação.
    Na maioria dos casos, as tentativas de técnicos não especializados em sistemas RAID irão complicar ainda mais o processo de recuperação de dados. Eventualmente, algumas destas tentativas podem tornar o processo de recuperação de dados impossível.
  • Verificar se a cópia de segurança está actualizada. Se não tiver um apoio, é melhor procurar aconselhamento especializado antes de realizar qualquer procedimento.
  • Prestar atenção ao procedimento de reconstrução.
    Nunca executar o comando INICIALISE do controlador RAID. Na maioria dos controladores, este comando aparentemente inofensivo (inicialização) elimina completamente todos os dados existentes sobre o RAID, tornando a recuperação de dados completamente impossível.

Informação chave para a restauração de um sistema RAID

Ao solicitar um serviço de recuperação de dados RAID, recolher o máximo de informação possível do RAID. Isto tornará o processo mais fácil.
  • Servidor: fabricante, série e modelo
  • Placa controladora RAID: fabricante, série e
  • Modelo
  • Tipo RAID: RAID 0, RAID 1, RAID 5, RAID 6 ou outro
  • Unidades de disco: fabricante, modelo e capacidade
  • Número de discos físicos
  • Número de volumes lógicos / discos lógicos
  • Verificar se o sistema operativo e os dados estão localizados em diferentes matrizes.
  • Número de divisórias em cada volume lógico
  • Sistema operativo: fabricante e versão
  • Sistema operativo: fabricante e versão
  • Tamanho aproximado de cada divisória
  • Como ocorreu a perda de dados
  • O que foi feito quando o problema foi encontrado pela primeira vez
  • Que procedimentos foram realizados numa tentativa de resolver o problema?
  • O que aconteceu quando foram tentados procedimentos de reparação
  • Quantos e que discos no RAID estão em falta
  • Localização de todos os dados a recuperar
  • Que dados (ficheiros, pastas e partições) precisam de ser recuperados?
  • Qual é o volume aproximado de dados

Oferecemos serviços de recuperação de dados RAID dos seguintes fabricantes:

  • Western Digital
  • IBM
  • Iomega
  • D-Link
  • Sinologia
  • Drobo
  • Netgear
  • Promessa
  • LaCie
  • Asustor
  • HP
  • Seagate
  • Búfalo
  • Thecus
  • Intel
  • Areca
  • Adaptec
  • Delock
  • CalDigit

A empresa de recuperação digital é especializada na recuperação de sistemas RAID

A nossa empresa é especializada na recuperação de dados RAID de todos os tipos, tamanhos e sistemas operativos. Porque cada hora e cada minuto pode ser importante, especialmente para as empresas, temos um departamento especial de recuperação de dados RAID que pode operar 24 horas por dia. Quando os nossos clientes colocam a sua encomenda, podem activar o modo 24 horas para assegurar a recuperação mais rápida possível.

Como empresa especializada na recuperação de dados, também aceitamos regularmente encomendas de outras empresas de recuperação de dados, e em muitos casos podemos recuperar dados mesmo que um prognóstico negativo tenha sido feito anteriormente. Já recebeu um “não”? Connosco recebe um “sim”. Quer seja um disco rígido padrão, um SSD ou uma unidade SCSI, recuperamos os seus dados em todos os suportes de armazenamento que podem ser ligados em RAID.

Podemos recuperar dados a partir dos seguintes níveis RAID

  • RAID 0
  • RAID 1
  • RAID 2
  • RAID 4
  • RAID 5
  • RAID 6
  • RAID 7
  • RAID 03
  • RAID 05
  • RAID 10
  • X-RAID
  • RAID 1.5
  • RAID 15
  • RAID 1E
  • RAID 1E0
  • RAID-30
  • RAID-45
  • RAID-50
  • RAID 51
  • RAID 53
  • RAID 55
  • RAID 5E
  • RAID 5EE
  • RAID 5DP
  • RAID ADG
  • RAID-60-Verbund
  • RAID Matrix-RAID
  • RAID S
  • RAID TP
  • RAID-Z
  • RAID 100

Perguntas mais frequentes sobre a recuperação de dados do sistema RAID

Estas são as perguntas que mais recebemos dos nossos clientes.

1. Os meus dados RAID são inacessíveis, o que aconteceu?

As situações mais comuns que causam inacessibilidade de dados e perda de dados RAID são as seguintes:

  • Danos físicos no controlador RAID
  • Danos físicos na placa do sistema do servidor
    Alterações impróprias à configuração RAID
  • Controlador RAID
  • Problemas que ocorrem em um ou mais discos ao mesmo tempo
  • Problemas de arranque do sistema operativo
  • Perda da ordem sequencial do disco
  • Corrupção de dados em partições GPT ou MBR
  • Problemas que ocorrem quando se tenta reconstruir um ou mais discos com problemas
  • Recriação inadequada do RAID e do volume lógico anexado à matriz
  • Problemas encontrados durante um processo de aumento de capacidade
  • O RAID foi reconstruído ou reiniciado com uma configuração diferente.

2. A substituição do controlador RAID pode restaurar os meus dados?

A estrutura dos sistemas RAID é baseada em três diferenciadores principais, que são Segurança, desempenho e aumento da capacidade dos dispositivos dedicados ao armazenamento de dados.

O controlador RAID é hardware especificamente concebido para processar informação a partir dos volumes e partições de uma matriz. O cartão controlador tem, entre outras, duas funções principais: O primeiro é efectuar todos os cálculos relacionados com o processamento de dados e armazenamento de informação de paridade nas matrizes. A segunda função é armazenar os dados de configuração das matrizes criadas e geridas pelo próprio controlador.

Uma técnica comum utilizada pelos controladores para se protegerem de problemas é armazenar dados de matriz gerida em áreas reservadas nos próprios discos que utilizam para criar as matrizes.

Desta forma, se um controlador tiver problemas, é possível instalar um novo e executar os comandos necessários para ler os dados de configuração armazenados nos discos da matriz, evitando a perda de dados. Normalmente, esta região do disco é conhecida como DACStore.

Se o problema estiver de facto no controlador, graças às protecções anteriormente mencionadas, é muito provável que o ambiente regresse ao funcionamento normal. No entanto, se houver um problema com a informação registada nos discos, os dados permanecerão inacessíveis.

3. Quanto tempo demora a recuperar os dados perdidos num RAID?

Compreendemos a perturbação e os danos que um servidor RAID e uma paragem de armazenamento podem causar ao seu negócio. É por isso que criámos um departamento 24×7 dedicado à assistência a clientes que têm extrema urgência em recuperar dados de sistemas RAID.

Assim que os discos de um servidor ou armazenamento RAID entram no nosso laboratório, o processo de diagnóstico avançado começa imediatamente. O processo de diagnóstico avançado demora geralmente 4 a 8 horas. Assim que estiver concluído, o cliente será informado sobre as possibilidades de recuperação de dados, os montantes necessários e o tempo de recuperação esperado.

O tempo médio de recuperação dos dados em servidores e arquivos RAID na Recuperação Digital é de cerca de 36 horas, mas em alguns casos os projectos foram resolvidos em menos de 12 horas. Dependendo da complexidade do problema e do tipo de solução a adoptar, o tempo de recuperação de dados pode prolongar-se por alguns dias, mas em qualquer altura um especialista estará em contacto com o ponto focal do cliente, para relatar em pormenor todos os movimentos efectuados.

4. É possível recuperar dados quando duas ou mais unidades RAID falham simultaneamente?

Claro que é possível, uma vez que existem técnicas para inverter este tipo de cenário, uma vez que na maioria dos projectos é possível alterar com segurança o estado do disco de defunto para online, a fim de clonar isoladamente, o mais rapidamente possível, os sectores ligados a esse disco problemático.

5. O que é RAID Degradado? Como saber se o meu RAID está degradado?

Um RAID degradado é quando um ou mais discos de redundância deixam de funcionar. Dependendo do tipo de Array, isto resulta numa perda de desempenho. A forma mais segura de saber se o RAID está degradado é aceder ao software de gestão do controlador. Em servidores IBM/Lenovo, este software é chamado MegaRAID Storage Manager. Outra forma de saber é observar se um LED laranja se acende nos discos pertencentes ao conjunto em questão.

6. Quanto custa o serviço de recuperação de dados RAID?

Devido às muitas variáveis envolvidas num projecto de recuperação de dados RAID, não é possível conhecer o valor final sem realizar uma avaliação detalhada. O objectivo desta avaliação é determinar:

  • Nível de complexidade e urgência
  • Possibilidade real de recuperação
  • Tempo de execução do serviço

Para efectuar uma avaliação, contacte-nos através dos nossos canais de apoio, disponíveis 24x7x365.

7. É possível recuperar dados de um RAID à distância?

Sim, em muitas situações é possível recuperar dados de um servidor RAID ou armazenamento remoto. Para mais informações sobre este modo de recuperação, queira contactar-nos através dos nossos canais de apoio, disponíveis 24x7x365.

8.É possível recuperar um ambiente contendo LVM?

O Logical Volume Manager (LVM) pode ser totalmente recuperado como opção para gerir os volumes lógicos de um disco rígido ou RAID em ambientes operacionais Linux/Unix.

9. O meu servidor RAID deixou de funcionar, o que devo fazer?

Compilámos uma lista com base nos nossos muitos anos de experiência com recuperação de dados em sistemas RAID. Antes de executar quaisquer procedimentos para tentar recuperar dados do seu sistema RAID internamente, considere as seguintes considerações:

  • Esteja certo de que os procedimentos realizados não irão piorar a situação.
  • Na maioria dos casos, as tentativas de técnicos não especializados em sistemas RAID irão complicar ainda mais o processo de recuperação de dados. Eventualmente, algumas destas tentativas podem tornar o processo de recuperação de dados impossível.
  • Verificar se a cópia de segurança está actualizada. Se não tiver um apoio, é melhor procurar aconselhamento especializado antes de realizar qualquer procedimento.
  • Prestar atenção ao procedimento de reconstrução.
  • Nunca executar o comando Initialise. Este comando aparentemente inofensivo (inicializar) elimina completamente todos os dados sobre o RAID, tornando assim a recuperação de dados completamente impossível.

10. Porque é que se perdem dados no RAID 1?

Um sistema RAID 1 é um tipo de RAID com 100 por cento de redundância. Isto significa que toda a informação de um disco é espelhada ou escrita noutro disco. Mesmo que sejam utilizados dois discos, apenas um volume equivalente a um disco será apresentado ao sistema operativo.

Sempre que o utilizador faz uma alteração ao volume, o sistema responsável pela gestão do RAID 1 (através de software ou hardware) replica automaticamente a alteração em ambos os discos. Uma vez que tenho 2 discos espelhados e exactamente o mesmo, quais são as hipóteses de perda de dados? Embora exista a possibilidade de falha simultânea dos dois discos, esta possibilidade é muito pequena.

A maioria das perdas de dados em RAID 1 que recebemos para recuperação resultam de erros de gestão RAID. Ver as seguintes situações:

A. Após 2 anos de uso contínuo de um RAID 1, um dos discos falha com blocos danificados. Uma vez que este disco já não é utilizado normalmente, o controlador ou o software de gestão de array descarta qualquer tentativa de escrever ou ler para este disco. O sistema também avisa o utilizador do problema, para que ele possa substituir rapidamente o disco avariado. É aqui que ocorre a maior parte dos problemas. Dado que o sistema continua a funcionar normalmente e um dos discos ainda está 100% funcional, o utilizador não presta atenção ao aviso e continua a utilizar a máquina. Seis meses mais tarde, o segundo disco falha. Mas desta vez, em vez de falhar apenas devido a blocos danificados, o disco RAID é completamente inacessível. Quando se tenta resolver o problema ligando os discos a outro computador ou enviando-os para um centro de serviço, o único disco que ainda estará acessível é o que falhou primeiro (há 6 meses atrás), porque mesmo com blocos danificados, pode ainda ser possível aceder a alguma informação, mas de há 6 meses atrás.

B. Uma vez que os sistemas RAID 1 são montados em máquinas normais e não têm a infra-estrutura (caixa e controlador RAID) necessária para os sistemas RAID, são muito mais susceptíveis a falhas. Por esta razão, pode ocorrer outro problema quando um dos discos tem problemas no cabo ou na ligação à placa-mãe. Embora os discos não apresentem quaisquer problemas, um contacto defeituoso no cabo de ligação de um deles interrompe a comunicação. O sistema de gestão do Array avisa o utilizador, mas o utilizador não se apercebe disso. Uma vez que os dados são 100% redundantes noutro disco, a máquina continuará a funcionar normalmente e sem problemas de desempenho. Algum tempo depois, durante a manutenção do computador, os cabos são desconectados e reorganizados. Com esta manutenção, há o risco de reconectar os HDs em diferentes portos e de confundir o sistema. Quando duas unidades forem novamente ligadas em RAID 1, o sistema identificará que não são a mesma, porque já passou tempo suficiente desde que uma delas foi desconectada do RAID. Neste momento, o sistema actualiza a informação de um disco para o outro. Uma vez que os discos estavam ligados em portas diferentes, o sistema pode simplesmente copiar o disco com a informação antiga para aquele com a nova informação.

C. Na mesma linha dos problemas mencionados anteriormente, quando um dos discos no RAID 1 falha e o utilizador continua a utilizar o sistema, existe a possibilidade de perda de dados se, por alguma razão, o utilizador recriar a matriz. Desta forma, o sistema identifica que o conteúdo dos discos não é exactamente o mesmo. Nesta altura, o sistema copiará a informação do primeiro para o segundo disco e poderá ocorrer uma sobreposição de dados.

 

11. Se eu recriar a matriz com as configurações antigas, o meu RAID irá funcionar novamente como antes?

Em alguns casos, sim. Especialmente quando se tem um ambiente com alguns discos e se lembra exactamente das configurações da matriz.

Mas quando se tem um armazenamento com muitos discos rígidos, com vários volumes, com diferentes configurações RAID e mesmo com discos Hot Spare, mesmo que tudo isto esteja documentado, não será fácil recriar a matriz e fazê-la funcionar novamente.

No caso de RAID virtualizado ou vRAID, mesmo que tenha todas as configurações anotadas, a única forma de devolver o Array é ler as configurações contidas nos discos (DAC Store).

12. Quanto espaço está disponível num servidor ou armazenamento configurado em RAID 5?

Independentemente do número de discos que serão atribuídos na matriz, o sistema utilizará o espaço equivalente a um disco para paridade, ou seja, para obter o espaço líquido, basta multiplicar a capacidade dos discos pelo número de discos menos um.

Exemplo | Considere 5 discos de 3 TB cada, para um total de 15 TB de espaço em bruto.

Subtraindo um disco, temos um total de 4 discos de 3 TB, ou seja, 3 TB x 4 = 12 TB.

13. É possível recuperar dados quando duas ou mais unidades RAID falham simultaneamente?

Claro que é possível, uma vez que existem técnicas para inverter este tipo de cenário, uma vez que na maioria dos projectos é possível alterar com segurança o estado do disco de defunto para online, a fim de clonar isoladamente, o mais rapidamente possível, os sectores ligados a esse disco problemático.
Isaias Sardinha
Isaias Sardinha
Isaias Sardinha, CEO e fundador da Digital Recovery, atua há mais de duas décadas na recuperação de dados perdidos, é perito em disaster recovery e no desenvolvimento de tecnologias para recuperação de dados, como a Tracer, ferramenta capaz de recuperar dados em RAID System, Storage, Máquinas Virtuais, Banco de Dados e Ransomware.