Cuidados a Serem Tomados Com Fitas Magnéticas

As fitas magnéticas necessitam que o ar tenha baixa umidade relativa e baixa temperatura, não contenha poeira e gases corrosivos, não sofra ação de campos magnéticos (motores, detectores de metais etc).

E de acordo com a tecnologia precisa sempre ser feita a inspeção e manutenção dos componentes internos, como por exemplo, a correia de tração. 

Na geração do Backup, para que tenha uma boa impressão magnética e consequentemente, durabilidade da informação, é necessário a utilização de fita nova e uma unidade de fita com a cabeça magnética com pouco desgaste e limpa.

Caso as fitas não sejam armazenadas de forma correta os dados contidos nela podem ser perdidos. E caso isso aconteça, você vai precisar de uma empresa especializada em recuperar fitas magnéticas

Fitas Magnéticas ou Discos Rígidos Qual é o Melhor para Fazer Backup?

Quando tratamos da relação custo x benefício, a capacidade de armazenar dados é muito mais viável usar as fitas magnéticas.

Usar os discos de forma constante, por serem feitos de partes mecânicas, uma hora vai parar de funcionar.

Todos os dispositivos possuem um prazo de validade, porém muitos profissionais não se atentam a isso.

As fitas magnéticas possuem inclusive o jeito correto de ser guardada, de forma alguma podem permanecer na posição horizontal, elas precisam ficar na posição vertical, conforme recomendado pelos fabricantes. 

Principais tipos de conexões: 

  • Standalone: SCSI, SAS e Fibre Channel;
  • Autoloaders e Libraries: iSCSI, SAS, Ethernet e Fibra óptica;

Há diversas configurações para atender as grandes, médias e pequenas empresas:

  • Standalone que é um único drive fita simples;
  • Autoloader que armazena mais de um cartucho e tem mecanismo de carregamento automático com um drive LTO apenas;
  • Library que armazena vários cartuchos e mais de um drive em diversas dimensões e capacidades.

Fitas Magnéticas x Nuvem Híbrida: Qual é a melhor para Sistemas de backup?

São sistemas totalmente diferentes, mas que se bem administrados fazem total diferença no ambiente computacional de armazenamento e na segurança dos dados.

As fitas magnéticas possuem o sistema de criptografia dos dados, o que de fato protege os dados de possíveis ameaças hackers ou um crime de furto das fitas para tentar acesso aos dados.

Certamente quando for posto a prova, se as senha de criptografia estiverem sendo gerenciadas em local apropriado, o criminoso nunca terá acesso aos dados.

As nuvens híbridas fazem parte de um conceito entre nuvens públicas e privadas, ou seja para o usuário final, acaba não sofrendo tanto, até mesmo por não saber muito bem diferenciar.

A partir da nova tecnologia em fitas magnéticas nomeadas como fita magnética híbrida, faz como uma integração entre o ambiente do data center e nuvem com as fitas.

A IBM juntamente com a Fujifilm está desenvolvendo uma nova tecnologia que já está revolucionando o mercado com sua fita capaz de armazenar 580 TB de dados.

Algo maior e muito além do que era esperado em economia de tempo e espaço,  por conta da nova fita da IBM que é muito superior à última geração das Fitas LTO-8.

Para a segurança dos dados a Fita LTO-8 conta com o recurso de criptografia AES de 256 bits realizada por hardware.

Ainda para proteção de dados, a LTO-8 pode utilizar cartuchos WORM que somente podem ser gravados uma só vez, protegendo os dados de qualquer sobrescrita.

Tudo isso facilita o processo de backup e restore, eliminando a carga do servidor host.

Possui até quatro partições, permitindo o uso do LTFS (Linear Tape File System), o que permite aos usuários visualizem e acessem os arquivos de fita, como se fosse discos ou outros arquivos de mídia removível.

Assim como as gerações anteriores, a LTO-8 lê e grava a primeira geração anterior (LTO-7) e lê a segunda geração anterior (LTO-6).

Uma tecnologia dos anos 50’ onde iniciava todo o processo de criação e desenvolvimento dessa tecnologia que atravessaria todo o século XX e também o século XXI.

Não se trata da virtualização dos ambientes ou do aumento da velocidade, capacidade de leitura e gravação de outros dispositivos.

Tudo isso é muito bacana. Sim. Com certeza.

Porém, ainda necessitamos de mídias off-line, longe de quaisquer ameaças cibernéticas, capazes de comprometer o ecossistema da empresa e levar a uma possível exposição desnecessária.

Como Cuidar da Fita Magnética de Backup?

Quando é montado uma ótima solução de backup, sempre leva-se em consideração as fitas magnéticas.

Pois, ainda que seja uma tecnologia antiga e para os mais novos e entusiastas, que acreditam ainda que tudo será virtualizado, tudo ficará arquivado em Nuvem, se engana.

Vai demorar muito para alguma das tecnologias já disponíveis, alcançarem o mesmo nível de capacidade de armazenamento das fitas dessa proporção, por um custo bastante inferior.

Com a capacidade de armazenar 580 TB de dados, isso equivale aos grandes Data Centers, com diversos Banco de Dados armazenados no ambiente.

Estamos falando de proporções que se comparadas aos HDs, iríamos precisar de centenas de discos rígidos para conseguir a mesma proporção.

Sendo assim, os Tapes continuam sendo a melhor escolha para armazenamento de dados a baixo custo, ainda que seja mais trabalhoso e que tenha os problemas comuns.

Embora as fitas tenham diminuído de tamanho, estejam mais finas mecanicamente falando e por vezes sejam menos resistentes ao tempo, ainda são mais resistentes que um HD ou um SSD.

O magnetismo das fitas atuais, são muito melhores, resistentes, funcionais, por conta da gravação a laser nas fitas, que acabam sendo prejudicados por conta do próprio hardware 

Vemos sempre que as fitas bem cuidadas duram bastante tempo, mas os leitores e gravadores se deterioram e ficam obsoletos em um curto período de 10 anos.

Precisamos levar em conta o melhor cenário, onde as coisas estão sendo bem administradas, onde são armazenadas da forma correta.

Os acervos mais antigos de fitas magnéticas mais antigas precisam de leitores muito melhores para que sejam feitas a leitura e reprodução do que está gravado.

Não tem jeito, tudo o que é feito de forma não excelente, sempre dará problemas, vai se deteriorar mais rápido, vai quebrar em menos tempo.

Vale ressaltar que as fitas possuem um limite máximo de vezes que podem ser gravados os dados.

Sempre verifique no manual do fabricante a quantidade máxima de vezes que podem ser gravadas (normalmente gira no entorno de 50 vezes).

Com todas essas considerações, vale lembrar também que as fitas precisam de um ambiente seguro, longe de conduítes, fios de energia ou cabos de rede, pois isso acaba estragando o magnetismo das fitas.

Recuperação de Fitas Magnéticas

A Digital Recovery se destaca hoje como uma das maiores empresas na área de recuperação de fitas magnéticas no cenário nacional. 

 Em nosso laboratório contamos com técnicos especializados em fitas LTO, DAT, DDS, AIT e outras, cujo foco exclusivo é o constante desenvolvimento e aprimoramento  de métodos e tecnologias para recuperação de dados, podendo assim trazer um diferencial único em nosso atendimento.

 Nossa missão é atender a necessidade real de cada cliente, através da recuperação dos dados em qualquer tipo de problema; seja defeito físico, magnético ou lógico.

Principais Problemas da Fitas Magnéticas

Problemas Físicos:

  • Ruptura de trecho da fita;
  • Quebrado invólucro;
  • Mecanismo interno da fita danificado;

 

Problemas Magnéticos:

  • Apagamento parcial da fita;
  • Erro de leitura;
  • Fita formatada;
  • Sobreposição;

 

Problemas Lógicos:

  • Falha no Restore;

 

Além da recuperação, também fazemos a duplicação e a listagem de arquivos em fitas magnéticas.

Duplicação de Fitas Magnéticas

A duplicação de fita é realizada na Digital Recovery por equipamentos em ótima condição física e magnética e usando sempre fitas novas de fabricantes homologados garantindo uma gravação de qualidade para a guardar suas informações.

A fita duplicada é idêntica à fita de saída. O serviço é realizado sem restaurar os arquivos gravados e por essa razão é independente do software de backup. A informação lógica não é acessada, copiada ou transformada.

A duplicação pode ser feita para o mesmo tipo de fita ou para outra de tecnologia mais recente, por exemplo, a fita de entrada é SDLT-600 e será duplicada para LTO-8.

Listagem de Arquivos em Fitas Magnéticas

O serviço de listagem dos dados é oferecido aos clientes que desejam apenas listar o conteúdo de suas fitas.

É necessário que a fita esteja em boas condições de uso sem a ocorrência de erros de leitura. Neste serviço é listado todos os arquivos contidos na mídia com suas respectivas datas e tamanho.

Tipos de Fitas Magnéticas Suportadas

Fitas DAT 4 milímetros:

  • DDS 60m;
  • DDS-1 90m;
  • DDS-2;
  • DDS-3;
  • DDS-4;
  • DAT72
  • DAT Sony (DDS 3)
  • DAT 320 Sony (DDS)

 

Fitas DAT 8 milímetros:

  • DAT 320;
  • DAT160;
  • Exabyte VXA X23 (230m);
  • Exabyte VXA X10 (124m);
  • Exabyte VXA X6 (62m);
  • Exabyte VXA V23 (230m);
  • Exabyte VXA V17 (170m);
  • Exabyte VXA V10 (120m);
  • Exabyte VXA V6 (62m);
  • Exabyte 112m MP Cartucho de Dados;
  • Exabyte 160 mXL MP Cartucho Dados;
  • Exabyte 22m AME Cartucho de Dados;
  • Exabyte 125m Cartucho de AME Dados;
  • Exabyte 170m Cartucho de AME Dados;
  • Exabyte 75m AME com SmartClean;
  • Exabyte 150m AME com SmartClean;
  • Exabyte 225m AME com SmartClean;

 

Fitas AIT:

  • AIT SDX 5-400W;
  • AIT SDX 5-400C;
  • AIT SDX 4-200W;
  • AIT SDX 4-200C;
  • AIT SDX3X-150C;
  • SDX3 AIT-100W;
  • AIT SDX 3-100 C;
  • AIT SDX 2-50W;
  • AIT-50 C SDX2;
  • AIT SDX1-35C;
  • AIT SDX 1-25C;
  • AIT TAIT 2-80C;
  • AIT TAIT 2-80 N;
  • AIT TAIT 1-40C;
  • AIT TAIT1-40N;
  • AIT Taiti-20N

 

Fitas DLT:

  • DLT Tape III;
  • DLT Tape IIIXT;
  • DLT Tape IV;
  • DLTtape VS1;
  • SDLT I;
  • SDLT II;
  • DLT S4-;

 

Fitas QIC / MLR / SLR:

  • DC 6150;
  • DC 6525;
  • DC9120;
  • DC9250;
  • SLR5;
  • MLR1-2GB;
  • MLR1-13GB;
  • MLR1-16GB;
  • MLR3;
  • SLR 60;
  • SLR100
  • SLR 140
  • SLR 200
  • SLR 400

 

Fitas LTO:

  • LTO-1;
  • LTO-2;
  • LTO-3 / LTO-3 WORM;
  • LTO-4 / LTO-4 WORN;
  • LTO-5 / LTO-5 WORN;
  • LTO-6 /  LTO-6 WORN;
  • LTO-7 / LTO-7 WORN;
  • LTO-8 / LTO-8 WORN;
  • LTO-9 / LTO-9 WORN;

 

Fitas IBM Mainframe USO em:

  • 3420 Fita Rolo – 800, 1600, 3200 e 6250 bpi;
  • Cartuchos 3480, 3490, 3490 E, 3592;
  • Cartuchos 3570, 3570 B, 3570C e 3570 CXL;
  • Cartuchos 3590, 3590 B, 3590E, 3590 H;
  • Cartuchos 3592 e 3592 J1A;

 

Fitas Sun / StorageTek OSU los Mainframe:

  • Cartuchos 9840, 9840A, 9840B, 9840C;
  • Cartuchos 9940, 9940 A, 9940 B

 

Fitas TRAVAN:

  • TR1, TR2, TR3, TR4, TR5 
Isaias Sardinha
Isaias Sardinha
Isaias Sardinha, CEO e fundador da Digital Recovery, atua há mais de duas décadas na recuperação de dados perdidos, é perito em disaster recovery e no desenvolvimento de tecnologias para recuperação de dados, como a Tracer, ferramenta capaz de recuperar dados em RAID System, Storage, Máquinas Virtuais, Banco de Dados e Ransomware.
Confira outros artigos que você pode gostar

Conheça mais sobre a recuperação de dados e as inovações do universo da tecnologia.

Para garantir uma melhor experiência em nosso site, ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies de acordo com nossa política de privacidade.